Indústria inicia 2018 com elevação de confiança


Resultado de janeiro (61,1 pontos) está acima da média nacional (59 pontos) e é o maior valor já alcançado desde agosto de 2010, segundo a Fiesc

O industrial catarinense se mantém otimista em relação à economia, de acordo com a pesquisa Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), divulgada pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc). O índice varia no intervalo de 0 a 100. Acima de 50 pontos indica confiança e abaixo, falta de confiança na economia.

Em janeiro, ele alcançou 61,1 pontos, o maior valor registrado desde agosto de 2010.  “A nova elevação do índice de confiança é uma sinalização importante para a continuidade da recuperação econômica iniciada em 2017. Ela está em linha com os indicadores positivos da indústria catarinense que registra alta nas vendas, na produção e na geração de empregos”, afirma o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte. “Para manutenção dessa expectativa ao longo de 2018, será fundamental o avanço das reformas, especialmente a da Previdência. O cenário eleitoral e o desempenho dos candidatos comprometidos com essa agenda de modernização também serão decisivos”, acrescenta.

A percepção das condições atuais e as expectativas para os próximos seis meses explicam o crescimento. A confiança do empresário na indústria de transformação foi de 62 pontos em janeiro, puxada principalmente pelo indicador de expectativas e este, por sua vez, pela perspectiva dos empresários quanto ao desempenho futuro da economia brasileira e catarinense.

O ICEI do Brasil subiu para 59 pontos em janeiro. Com o aumento de 0,7 ponto em relação a dezembro, o indicador está acima da média histórica de 54,1 pontos e é o maior desde abril de 2011, segundo pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI). A confiança é maior nas grandes empresas, segmento em que o ICEI alcançou 61,1 pontos neste mês. Nas médias empresas, o indicador foi de 57,6 pontos e, nas pequenas, de 55,9 pontos.

Anterior Decreto 9.048 abre novas possibilidades para o setor
Próximo Movimentação cresce 17% no Porto de São Francisco